As douradas sereias de Charmed

charmed“A Witch Tail” é o primeiro episódio da quinta temporada da série Charmed, que foi ao ar no dia 22 de Setembro de 2002. Nesta parte da história, as personagens Piper, Phoebe e Paige ajudam a sereia Mylie, que precisa de ajuda depois de fazer um pacto com a Bruxa do Mar, um ser mágico malévolo conhecido por tentar as sereias a desistirem de sua imortalidade pelo amor de um ser humano. Ele então recolhe sua essência imortal, a fim de negociar com poderosos demônios.

Mylie precisava encontrar seu amor em 30 dias, e conheceu um homem chamado Craig Wilson, mas ele não declarou seu amor no tempo esperado. Com a ajuda das personagens da série, Mylie mostra a Craig quem ela realmente é – uma sereia, e ele se assusta e foge. A sereia ficou triste, e a Bruxa do Mar convence-a a desistir de sua imortalidade. Felizmente, Craig muda de idéia, confessa seu amor e Mylie torna-se uma humana comum. No final do episódio, Phoebe, Paige e Piper querem procurar a Bruxa do Mar por causa de Myllie. Elas lançam um feitiço contra a Bruxa, e Phoebe vira uma sereia. Elas conseguem derrotar a Bruxa, mas Phoebe não vira humana, e se recusa a voltar para à Terra.

Phoebe acaba presa em um barco de pesca. Ela ainda quer ser uma sereia, e quer ficar na água. Resgatada, Phoebe é colocada em uma banheira. No final, ela acaba tornando-se humana novamente, e assina os papéis para divorciar-se de seu marido, apesar de ainda amá-lo.

Apesar das duas atrizes usarem cauda e top parecidos, me parece claro que existem pelo menos dois tipos de cauda: uma “dura”, para a qual ela têm que ser carregada; e outra, que parece ser feita de tecido, que permite à atriz ficar de pé e de joelhos – essa foi sem dúvida a única vez que vi uma sereia, com cauda, “andando”.

Depois do sucesso deste episódio, o produtor executivo da série propôs um spin off chamado “Sereia”, que seria centrado na sereia Nikki, resgatada por um jovem em Miami. Matt Johnson, o salvador, é um advogado que vive com um olega de quarto e está envolvido com a filha de seu chefe. Inicialmente, ele está totalmente descrente da natureza de Nikki. De acordo com a mitologia da série, as sereias são criaturas cuja evolução occoreu debaixo d’água. As sereias são originárias de uma cidade submersa e têm habilidades sobrenaturais, incluindo força sobre-humana, ler as emoções, ver no escuro e sentir conexões com outras criaturas do mar. No entanto, outras criaturas que também começaram sua existência debaixo da água começaram a se adaptar na terra, como Eric Luger, que está caçando Nikki, que por sua vez tenta ter uma vida normal, trabalhando como garçonete enquanto vive com Matt. Ela começa a ajudar Matt, como o vilão Luger explica: as sereias são feitas para protege os inocentes, está “em seu sangue”.

Depois de passar por 300 garotas, o produtor executivo escolheu Nathalie Kelley como intérprete de Nikki. Apesar de ter uma boa chance virar um sucesso, quando os canais The WB e UPN foram incorporados pela rede The CW, começaram a se falar dos riscos que haveria caso o episódio não fosse bem aceito, e além disso os estúdios Paramount e CBS cortaram o orçamento pela metade.

 Phoebe  (5) Phoebe  (2) Phoebe  (3)
 Phoebe  (4) Phoebe  (1) Phoebe  (6)
 Phoebe  (7) Phoebe  (8) Phoebe  (9)
Mylie (3) Mylie (2) Mylie (5)
Mylie (4) Mylie (6) Mylie (1)
     

Bibliografia:

Mylie. Acesso em 11 de Setembro de 2014.
Mermaid (Pilot). Acesso em 11 de Setembro de 2014.
A Witch’s Tail, Part 1/Plot. Acesso em 11 de Setembro de 2014.
A Witch’s Tail, Part 2. Acesso em 11 de Setembro de 2014.
A Witch’s Tail, Part 2/Plot. Acesso em 11 de Setembro de 2014.

“Guinea Pig: Mermaid in a Manhole” [1988]

GuineaGuinea Pig é uma série de sete controversos filmes de terror japonês das décadas de 80 e 90. A série alcançou notoriedade mundial com os dois primeiros filmes, e o produtor precisou provar que ninguém tinha sido realmente machucado ou assassinado – o próprio FBI e as autoridades japonesas chegaram a investigar os cineastas.

Baseado em um mangá de Hideshi Hino, “Mermaid in a Manhole”, lançado em 1988 conta a história de um artista que está tentando lidar com a recente morte de sua esposa. Um dia, ao visitar os esgotos sob as ruas de Okinawa, ele se depara com uma sereia que ele tinha conhecido quando era criança, quando os esgotos costumavam ser um grande rio. Ela está presa no esgoto, e o artista se senta para pintá-la, mas logo ela começa chorar em agonia: o artista percebe que por estar nos esgotos por tanto tempo ela contraiu infecções. O artista a leva para sua casa, e ela começa a desenvolver lacerações e começa a sangrar. O artista usa então o sangue o pus das feridas para pintar o seu retrato, e então a sereia morre.

 1 3
 2 4

Bibliografia:
Guinea Pig (film series)

Mr. Peabody and the Mermaid [1948]

PeabodyA atriz Ann Blyth ainda estava filmando “Another Part of the Florest”, em 1948, quando foi chamada para fazer o filme “Mr. Peabody and the Mermaid”. Os anos de 1948-1952 seriam os mais ocupados e prolíferos a atriz, onde ela faria metade dos 32 filmes de sua carreira.

No filme, Peadoby sai de féries com sua esposa, Polly, para um resort no Caribe. Enquanto estava lá, ele ouve uma música distante cantada de uma pequena ilha, e vai para lác com seu barco. Para sua surpresa, ele conhece a sereia Leonore. Embora muda, a sereia é infantil e atraente, e logo Peabody a ensina a beijar. Levando-a como uma espécie de prêmio de pesca, o homem a leva e a esconde na sua banheira no resort, mas a confusão começa quando sua esposa acha que ele está escondendo um grande peixe e suspeita de infidelidade com Cathy Livingston, uma cantora. As coisas ficam ainda mais complicadas quando a polícia suspeita que Peabody é culpado de assssinato. Mas na conclusão do filme Peabody e sua esposa voltam felizes para casa, com apenas o pente de Leonore para provar a veracidade da história.

Ann tinha apenas 19 anos quando o filme foi feito, e William Powell tinha 55, mas a diferença de 36 anos entre eles realmente não foi de nenhum constrangimento durante as filmagens, uma vez que a paixão entre o homem e a seria na tela era bem inocente. Para acabar com qualquer constrangimento fora das telas, ambos os atores eram bem humorados sobre as cenas de beijo, sempre lembrando que o que eles estavam fazendo era um filme de comédia. Ann disse em uma entrevista: “Ele ficava brincando o tempo todo. Eu sempre estava com medo de que ele me fizesse rir quando começava a me beijar. Era tão faz-de-conta que eu não ficava com vergonha quando tinha que beijá-lo.”

No filme, a atriz Ann Blyth teve uma cauda feita exclusivamente para ela. Primeiro, foram tirados moldes dos dois lados de sua perna, que depois foram preenchidos com gesso e argila e depois cobertos de borracha, onde o artista esculpiu a cauda de as escamar. Embora tivesse a previsão de levar três semanas para ficar pronta, foi finalizada somente depois 3 meses e meio. Mas não foi somente o tempo de criação que superou o esperado: estimado inicialmente em $500 dólares, a cauda acabou por ficar por nada menos do que $23 mil dólares.

Sequência de fotos mostra o processo de criação da cauda.

A atriz ficou em uma espécie de mesa de operação por três hora. Para adquirir brilho, foram colocados quatro mil jóias de vidro na cauda. Provocar a censura era a última coisa na agenda, por isso, a atriz usou uma espécie de top para tampar os seios. Portanto, nas pouquíssimas cenas em que não está usando um top, seus seios são artisticamente encobertos pela beira de uma piscina, por um manto, por algas, por seus longos cabelos, por espumas ou por seus próprios braços.

Outra coisa que acabava com qualquer clima de romance é que o ator Powell tinha que carregar Ann para todos os lados, o que foi um feito notável e desgastante para um homem da sua idade. Para os críticos, Powell atuou bem, mas Ann “usou o rabo de peixe como se tivesse nascido para isso”. Eram necessárias três pessoas para colocar a atriz dentro da cauda. Para manter a cauda ereta, foram colocados ainda pesos de chumbo, alguns dizem de 13kg e outros 22kg.

Apesar dos incoveninentes, Ann não se importava muito sobre usar a cauda. “A parte boa sobre isso é que eu tinha que ser carregada durante todo o dia. Todo mundo foi muito bom comigo nesse filme”, disse ela em entrevista.

A nadadora Nancy Tribble posa para uma foto segurando a causa que usou no filme.

Em uma entrevista, a atriz disse que a parte mais difícil do filme foi aprender a nadar enquanto vestia a causa de sereia. Ela disse que praticou por mais de uma semana para se sentir confortável e não chutar a cauda.  Além disso, a atriz era equipada com uma peruca a prova d’água para as filmagens. Embora Ann fosse considerada uma “atleta natural” e tenha realizado a maioria das cenas em close-up, a nataçao acrobática na maioria das cenas de longa distâncias foram feitas pela nadadora Nancy Tribble. A maioria das cenas subaquáticas foram filmadas nos Estúdios Universal em um tanque da água. Na época, o tempo era frio e chuvoso, e grande parte do elenco ficou doente. Os estúdios tentaram aquecer as águas dos tanques, mas não deu certo. Tanto Anne quando as outras nadadoras ficaram doentes.

Veja mais fotos do filme:

 Fotos de Peabody (1) Fotos de Peabody (4) Fotos de Peabody (11)
 Fotos de Peabody (14) Fotos de Peabody (16)  Fotos de Peabody (13)
 Fotos de Peabody (3) Fotos de Peabody (5) Fotos de Peabody (12)
 Fotos de Peabody (2) Fotos de Peabody (15) Fotos de Peabody (6)
 Fotos de Peabody (7) Fotos de Peabody (8) Fotos de Peabody (9)
 Fotos de Peabody (10) Getting actress Ann Blyth into her mermaid's tail during filming of movie  am839wx2x6emme2

Bibliografia:
Mr. Peabody and the Mermaid – 1948.
Ele e a Sereia (1948) Trivia.

“O Corpo Encontrado” e “Novas Evidências”: as sereias do Animal Planet

posterExibido em 27 de Maio de 2012, o filme “Mermaid: The Body Found” (Sereia: O Corpo Encontrado) pelo Animal Planet, misturava fatos reais, ficção e a história de alguns cientistas que contavam sobre como encontraram restos de uma criatura do mar nunca identificada. Com efeitos especiais, o filme mostra um mundo onde sereias nadam abaixo da superfície da água, cooperam e caçam com golfinhos e sobrevivem em uma sociedade complexa, onde se escondem com medo de seus parentes da terra.

O filme conta uma história sobre uma possibilidade evolutiva baseada em uma teoria científica radical: a teoria do macaco aquático, que afirma que os seres humanos teriam um estágio aquático em nosso processo evolutivo: oito milhões de anos atrás, quando os macacos começaram a viver fora das árvores. Por meio de recursos de computação gráfica, o documentário mostra um grupo vivendo na costa, recolhendo mariscos e crustáceos nas poças d’água dos rochedos. Mais tarde, esses macacos teriam se aventurado a entrar em águas mais profundas, mergulhando em busca de alimento e nadando impulsionados por duas pernas.

Alguns milhões de anos depois, suas pernas teriam se tornado uma estrutura de cauda única e as patas traseiras se diferenciaram. Eles não eram mais macacos, mas o que chamaríamos de “proto-sereias”. Como os golfinhos, eles também desenvolveram a habilidade de localizar seres e coisas por meio da emissão de sons.

Essa teoria torna possível acreditar que, enquanto nos evoluímos para seres humanos terrestres, nossos parentes aquáticos transformaram-se em seres semelhantes às lendárias sereias.

ImagemO filme mostra vídeos amadores e provas fotográficas, bem como gravações de áudio, sugerindo que baleias não eram as únicas criaturas afetadas pelos sonares da Marinha, que começaram uma série de testes sonares secretos no início dos anos de 1990, que resultaram na morte de centenas de baleias no mundo todo. Os “cientistas” (em aspas, porque são personagens interpretados por atores), logo descobrem que a Marinha está tentando encobrir a descoberta de criaturas estranhas, cujos corpos também estão sendo machucados pelo poderoso dispositivo sonar. Em um dos vídeos, eles afirmam ter descoberto os restos de uma sereia junto de uma baleia encalhada.

“O Corpo Encontrado” recebeu milhões de visualizações durante sua estréia televisiva nos EUA. Muito criticado, o filme adotou um estilo documentário e acabou sendo visto e creditado por centenas de pessoas como um documentário real. Resultando em várias discussões no Twitter, muitos espectadores revelaram não saber que o documentário era “de mentira”, com frases como “Depois de assistir ao documentário #sereiasocorpoencontrado… Eu acredito que sereias existem!”, e “90% do oceano é inexplorado e você me diz que não existem sereias”. A confusão gerada pelo documentário foi tão grande que o governo dos Estados Unidos precisou emitir uma declaração oficial sobre assunto:

“Nenhuma evidência de humanóides aquáticos jamais foi encontrada. Por que, então, eles ocupam o inconsciente coletivo de quase todos os povos marítimos? Essa é uma pergunta para melhor ser deixada para os historiadores, filósofos e antropólogos.”

poster2Pouco tempo depois, o canal fez uma sequência para “O Corpo Encontrado”, chamado de Mermaids: The New Evidence (“Sereias: A Nova Evidência”). Exibido em 26 de Maio de 2013, este filme também deixava claro que os eventos mostrados eram fictícios – e revelaram criaturas míticas que nadavam no Mar da Groelândia, enquanto o “biólogo Dr. Paul Robertson” aparecia para falar sobre suas últimas descobertas.

Feito após a declaração oficial do governo americano, o filme diz que as declarações governamentais negando a existência das sereias eram algo “incomum”. Ainda em resposta, o filme mostra que até recentemente o governo também negava os perigos dos efeitos do programa de teste sonar, hoje já mundialmente conhecidos.

Repetindo os argumentos do primeiro documentário, o “Dr.” explica que, enquanto um dos argumentos contrários a ele é que o corpo humano nunca evoluiu; nós temos membranas entre os dedos, podemos segurar a respiração mais tempo do que qualquer outro animal terrestre, o próprio andar ereto seria uma consequência do tempo que nossos antepassados passaram na água.

O filme ainda fala da Sereia de Fiji, propriedade do empresário Barnun, que teria causado a primeira obsessão por sereias na América. Os “doutores” apresentados no filme deixam claro que conhecem a criatura de Fiji, que era nada mais do que um torso de macacos costurados em uma cauda de peixes. P.T.-BarnumA história real que conhecemos acaba aí. A partir daí, um especialista convidado conta que a Sereia de Fiji não era a única sereia nas mãos de Barnum: após sua sereia cair no esquecimento, Barnum ficou sabendo de um show que proclamava ter “a verdadeira sereia”. Mostrando um panfleto supostamente publicado por Barnun, a exposição da sereia seria em 15 de julho de 1865. Dois dias antes, um terrível incêndio (informação verídica) destruiu o Museu de Barnun, onde estava guardada sua “nova” sereia.

“A Nova Evidência” foi a transmissão de maior audiência de todos os tempos do Animal Planet, com 3,6 milhões de telespectadores. “O fenômeno das sereias foi realmente um divisor de águas – e um bebedouro – do Animal Planet”, disse Marjorie Kaplan, presidente e gerente geral do canal. “Esses extraordinários programas especiais têm eletrificado, desafiado e entretido o público da televisão e fãs online da mesma forma.”

“Nós queríamos que as pessoas se aproximassem da história com um senso de possibilidade e de um sentimento de admiração”, disse Charlie Foley, o produtor executivo do show. “Esperamos que os telespectadores permitam-se pensar sobre o que as ‘sereias’ são…. e acabar com essa descrença.”

Veja mais imagens dos dois filmes:

 Mermaid (1) Mermaid (2) Mermaid (3)
 mermaid mermaid (4) Mermaid (1)
mermaid Mermaid (3) Mermaid (2)

Bibliografia:
SHIFFMAN, David. No, Mermaids Do Not Exist. What Animal Planet’s fake documentaries don’t tell you about the ocean. Acesso em 12 de Agosto de 2014.
Sereias – A nova evidência – 2013 completo [nova legenda] Animal Planet [full] may 2013. Acesso em 12 de Agosto de 2014.
MERMAID: The Body Found // Animal Planet. Acesso em 12 de Agosto de 2014.
No evidence of aquatic humanoids has ever been found. Acesso em 12 de Agosto de 2014.
Mermaids: The Body Found. Acesso em 12 de Agosto de 2014.
Animal Planet’s “Mermaids: The New Evidence” catches 3.6 million viewers and ranks #1 in all of television in timeslot. Acesso em 12 de Agosto de 2014.

H2O: Meninas Sereias [2006]

H2O Just Add Water 001A série “H2O: Meninas Sereias” foi ao ar de 2006 até 2010. Com 78 episódios, conta a história de três garotas australianas: Rikki, Emma e Cleo, que tem dezesseis anos de idade e estão presas na misteriosa ilha de Mako. Depois de nadararem em uma piscina que está sob um vulcão adormecido e que está banhada pela luz da lua cheia, as meninas descobrem que se transformaram em sereias e que têm poderes sobrenaturais: Cleo pode manipular a água, Emma pode congelá-la e Rikki pode fervê-la. Situações cotidianas, como chuva e tomar banho, tornam-se complicadas, enquanto as meninas vêem muitas vantagens e disvantagens em sua nova condição.

Cada temporada da série demorou sete meses para ser filmadas, e apesar de ser  “nadável”, as caudas são pesadas. Então cada uma tem um mergulhador com tanque de ar como apoio. Mais atrás vai o pessoal da câmera. Quando vão mesmo gravar a frente da menina, ela solta a mangueira e eles gravam um pedacinho – depois edita-se tudo no computador e faz-se a sequência da filmagem. É por isso que no filme mostram elas nadando de frente, depois corta, e filmam as caudas, corta, filma o rosto, corta…

montagemExistem três tipos de caudas diferentes utilizadas na série: uma cauda usada para que as atrizes nadem, uma cauda eletrônica (cenas em que as atrizes ficam paradas e a cauda se mexe “sozinha”)  uma “dura”, para acrobacias. Feitas a partir de moldes do corpo, todas foram artesanais levaram três meses para serem construídas. A cauda pesava entre 12 e 15kg, e dentro delas existiam amarras para a perna, onde as garotas eram amarradas e, em seguida, um zíper era fechado. Uma vez dentro do figurino, as atrizes têm que ser levantadas e abaixadas por cordas ou com a ajuda de outras pessoas. Foram feitas tentativas para minimizar a visibilidade na tela dos zíperes nas caudas, como a adição de escamas extras e a elaboração de um cume de material em todo o comprimento do zíper.

 h2o (2) h2o (3)  h2o (1)
 h2o (3) h2o (4) h2o (5)
 h2o (4) h2o (13) h2o (8)
 h2o (12) h2o (15) h2o (1)
 h2o (11) h2o (7) h2o (9)
 367a3b69eb111ed294b59ccb9e140449 several f2bfc0faf02c4817a1f6c16f5fc8eb62

Bibliografia:
Cauda de Sereia. Como fazer?” Acesso em 21 de Julho de 2014.
H2O: Just Add Water. Acesso em 21 de Julho de 2014.
Behind The Scenes – H2o Just Add Water. Acesso em 21 de Julho de 2014.