A sereia de Zennor

A sereia de Zennor, pintura de John Reinhard Weguelin em 1900.

Diz a lenda que muitos e muitos anos atrás, uma mulher bonita e ricamente vestida frequentava ocasionalmente a igreja na cidade de Zennor. Ninguém sabia quem ela era ou de onde vinha, mas sua beleza era incomum a fazia tema de muita discussão.

Com tanta beleza, não faltavam pretendentes para a mão da mulher. Um dos homens locais, Matthew Trewella, um jovem bonito, tinha a melhor voz da aldeia. Ele tomou para si a tarefa de descobrir quem ela aquela bela estranha.  Depois de uma missa de domingo, a senhora sorriu para Matthew, e ele decidiu seguí-la. Ele nunca mais foi visto.

De acordo com uma outra versão da história, a mulher misteriosa era atraída para a Igreja por causa da bela voz de Matthew, e se vestia como um ser humano, ficando sempre no fundo da igreja. Um dia, Matthew cantou um verso particularmente bonito e a mulher deixou escapar um pequeno suspiro. Logo, Matthew se virou e viu a mulher, cujo capuz tinha caído: seus cabelos eram molhados e brilhantes, e foi amor à primeira vista.  Assustada, a mulher correu de volta para o mar, com Matthew a perseguindo. Em sua pressa para voltar para o mar, a mulher tropeçou em seu vestido, e Matthew pode ver sua calda. “Eu não posso ficar”, disse a sereia. “Eu sou uma criatura do mar, e devo voltar para onde pertenço”. Mas isso não importava para Matthew. “Então irei com vós, pois pertenço aonde você estiver”.

Em uma outra versão da história, o casal foi perseguido pelas pessoas da aldeia, que gritavam para Matthew deixar a mulher misteriosa. Mas  Mathew foi enfeitiçado pelo amor da sereia, e correu com ela o mais rápido que pôde em direção ao mar. Em seguida, os pescadores de Zennor o perseguiram, até mesmo a mãe de Matthew. Mas ele foi rápido e forte e se distanciou. Mas a sereia, chamada Morveren foi rápida e inteligente. Ela arrancou as pérolas e os corais de seu vestido e jogou-os no caminho. Os pescadores foram gananciosos e pararam para pega-las.

Anos se passaram desde o sumiço inexplicável de Matthew. Então, em uma manhã de domingo, um navio ancorou em Pendower Cove, perto de Zennor. O capitão do navio estava sentado no convés quando ouviu uma linda voz saudá-lo do mar. Olhando para as ondas, ele viu uma bela sereia, de cabelos longos e loiros fluindo a seu redor.

Ela perguntou se ele teria gentileza de levar a âncora, uma vez que ele tinha ancorado em cima da porta de sua casa. Ela explicou que estava ansiosa para voltar para seu marido, Matthew, e seus filhos. Pois acontecera que a misteriosa senhora era uma das filhas de Llyr, rei do oceano.

O capitão logo levantou a âncora e se dirigiu para as águas profundas, temendo que a sereia traria má sorte ao navio. Ele, no entanto, voltou mais tarde para dizer ao povo da cidade sobe o destino de Matthew. Foi para advertir os jovens sobre os perigos das sereias que uma cadeira foi esculpida no século XV. Em exibição na igreja de St. Senara até hoje, a cadeira é uma das atrações populares dos guias turísticos da Cornualha. De acordo com o relato dos moradores, historiadores supõe que foi a própria cadeira que inspirou o conto, e não o contrário.

Bibliografia:
Mermaid of Zennor. Acesso em 17 de Julho de 2014.
The Mermaid of Zennor and other Cornish Mermaids. Acesso em 17 de Julho de 2014.
A Sereia de Zennor“. Acesso em 20 de Julho de 2014.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s